Notícia póstuma

by cecilia Erismann

“Morreu, morreu, morreu! O Mário de Andrade morreu!”

Me anuncia o homem na ‘Sete de Abril’, no ano de 2014,

Desesperado com a triste notícia…

Eu dou risada e continuo,

Só com poesia para tocar esse barco!

Poesia colorida, com amor, de sorriso, sobre gente, sobre flor! Todas elas…

Guardadas minuciosamente no meio de meus dias, pela minha vida…

 

Um encontro pode ser como um bom livro, um amuleto.

 

Dedicado à Editora Patuá