Nesse exato momento

by cecilia Erismann

Nesse exato momento,

Alguém morreu – no ultimo suspiro de amor,

Alguém mentiu feio – por ter medo de errar,

Alguém riu tanto – e ainda ri,

Das ironias que a vida nos conta,

E ainda conta – e ainda vai contar…

 

Alguém descobriu um segredo antigo,

Guardado à sete chaves por gerações,

E que já não vale mais nada…

Alguém ficou grávida – no ato do maior prazer,

Alguém partiu para nunca mais…

Alguém ficou – a ver navios – aonde não há mar…

 

Nesse exato momento,

Alguém faz amor às pressas,

Alguém faz amor tardio,

Alguém sonha com um amor que nunca virá…

Alguém erra na escolha,

E se delicia com o erro,

Alguém encontra um amigo –

Alguém conclui que o amor é para poucos.

 

Nesse exato momento,

Tudo de um pouco acontece,

Um homem bate na porta com cartas na mão,

Uma mulher sai para dançar sem ter horas de voltar,

Algumas horas serão passadas em vão,

Outras serão jamais esquecidas,

Outras passarão sem serem notadas…

 

Com as horas desse exato momento,

Eu faço um baú de todas as memorias que nunca terei,

Eu caminho com algum homem que sobe um morro,

Eu busco segredos que alguém está para contar,

Está contando, está inventando,

Nesse exato momento,

Na única hora que alguém pode existir,

Sentir, agir, querer,

Nesse momento guardado por mim,

A vida passando no entrelaçar de mil histórias…

 

Nesse exato momento,

Há um momento passando – já indo,

E um outro chegando.

Nada é mais assim tão exato,

Mas alguém ainda anda por uma rua específica,

Alguém ainda canta uma canção qualquer,

Nesse exato momento – por fim!

Silêncio – o meu,

Esse exato momento indo – indo…

Já foi.

Advertisements